• O NATAL É VERMELHO - *Tinha na cabeça que tudo no mundo se conseguia por um exercício doloroso de vontade e que as frases tinham de ter um encantamento que convocasse o prime...
    Há 11 horas

segunda-feira, 21 de março de 2011

Defesas anti-aéreas líbias «fortemente diminuídas», diz Pentágono

.

TSF – 20 março 2011 - 22:35

Segundo o Pentágono, após os «muito eficazes» ataques aéreos contra a Líbia será possível a instauração «efectiva» da zona de exclusão aérea sobre território líbio.

Um alto responsável do Pentágono garantiu, este domingo, que as capacidades de defesa anti-aérea líbias ficaram «fortemente diminuídas» na sequência dos ataques aéreos feitos no quadro da resolução da ONU.

Segundo o vice-almirante Bill Gortney, estes ataques foram «muito eficazes» e permitirão a instauração «efectiva» da zona de exclusão aérea prevista por esta resolução, dado que a capacidade de lançamento dos mísseis terra-ar SA-5 de longo alcance líbios ficou «fortemente reduzida».

Este militar indicou ainda que três bombardeiros furtivos B-2, dos EUA, destruíram instalações militares num aeroporto perto de Misrata, ao passo que 15 caças-bombardeiros norte-americanos, bem como aparelhos franceses e britânicos destruíram numerosos blindados líbios.

Entretanto, o secretário de Estado norte-americano da Defesa disse que o controlo da Líbia pela França, Reino Unido ou NATO «estará por horas», uma vez que o presidente Barack Obama pretende limitar o papel dos EUA neste conflito.

A bordo de um avião militar que o transportava para a Rússia, Robert Gates garantiu que os EUA vão continuar a apoiar a coligação internacional, mas não terão o protagonismo militar.

Gates adiantou ainda que os aliados devem seguir os objectivos traçados pela resolução 1973 da ONU quando foi questionado se os ataques poderiam visar Muammar Kadhafi.

Relacionados
Edifício de Kadhafi destruído por míssil
Regime líbio anuncia novo cessar-fogo
Amnistia Internacional preocupada com protecção de civis na Líbia
Liga Árabe e Rússia contra ataques por irem além de imposição de zona de exclusão
Primeira fase de ataques na Líbia foi um êxito, dizem EUA
.

Sem comentários: