• Portugal | MATANÇA - *Ora a perda de cem vidas humanas, nas circunstâncias em que ocorreu – dois picos de vagas incendiárias muito concentradas no tempo e imprevisivelmente d...
    Há 1 dia

quinta-feira, 31 de março de 2011

A MARCHA DA VERGONHA

.

Patriotismo

Alguns podem ser enganados todo o tempo, todos podem ser enganados por algum tempo, mas é IMPOSSIVEL enganar TODOS todo o tempo. – Abraham Lincoln

Patriotismo; O valor que nos faz viver plenamente nosso compromisso como cidadãos e fomentar o respeito que devemos a nossa Pátria.

PATRIOTISMO é o valor que procura cultivar o respeito e amor que devemos a Pátria, mediante nosso trabalho honesto e a contribuição pessoal ao bem-estar comum.

Talvez para muitos ser Patriota consiste no orgulho de ter nascido numa Potência mundial extraordinariamente rica e poderosa como os EUA (exemplo) ou num País com muitos recursos minerais ou ainda num País de grandes Tradições culturais, para outros provavelmente significa ‘portar’ da cabeça aos pés as cores nacionais em um evento desportivo ou em viajem no exterior do País, alguns mais recatados sentem pertencer ao seu País durante a celebração nacional e só como pretexto para organizar uma festa com seus amigos ou apenas para beneficiar-se dela (da festa) … enfim; achamos pertinente perguntar, se a verdade sobre o Patriotismo se vive ou personaliza-se o que faz toda a diferença ou é um sentimento ocasional e portanto passageiro.

Regra geral, a consciência patriótica parece despertar quando irrompem os desastres (como é o caso actual do Japão), guerras e outros eventos extraordinários, como no caso da apoteótica recepção em Madrid, da selecção de Espanha campeã do mundo de futebol naquele dia Toda a Espanha esteve unida, esqueceram-se assombrosamente as diferenças politicas e ideólogicas, o evento extraordináriamente galvanizou tudo e todos a volta da heróica selecção, provavelmente membros da organização separatista Basca, a ETA ‘enterraram’ as diferenças e também vibraram com os milhões dos demais compatriotas, tornando-se assim num único corpo, a saber: Espanha.

Aconteceu também em Angola durante o CAN-orange, quando a Selecção de ‘todos nós’, estava a ganhar o MALI atingindo a soberba e inacreditável fasquia de 4-0, cada golo resultou numa explosão ‘multicolor’ de Alegria Nacional, todos abraçavam todos, sem olhar a côr politica, racial, religião, social etc, constou-se á-propósito varias anedotas e acontecimentos para demonstrar a UNIDADE NACIONAL ou PATRIÒTICA que se viveu naqueles momentos ímpares e belissimos, eis uma; “Certo individuo amigo do alheio, esgueirou-se na residencia de outrêm, para a pratica da sua ‘profissão’ justamente quando ia dar inicio ao ‘acto’ Os Palancas desferiram mais um Golo, foi uma explosão entre os moradores e hospédes que se encontravam reunidos na sala para o efeito, o amigo do alheio ou melhor o gatuno, do ‘seu’ sitio ‘veio’ a correr para a sala fazendo coro com os demais, distribuindo e recebendo candandos e abraços, ninguém notou que era um ‘infiltrado’ o final da estória são outros quejandos... claro que quando o MALI, começou a reverter a situação de modo implacável, cada golo maliano, era uma espetada no coração de cada Angolano, eventualmente todo o País, respirou silenciosa e uníssonamente de alivio quando o árbitro da ‘partida’ deu por terminado o que parecia ser um eminente desastre nacional.

Mas como lograr ser Patriota num País que Só tem problemas, dificuldades e miséria de toda a índole? “pondo o dedo directamente na ferida”; Quem tem a suprema responsabilidade de mostrar ser verdadeiro PATRIOTA os governantes ou os governados? Quem tem que exigir tal sentimento a quem? Os governantes são os únicos que têm o dever ou o direito de exigir Patriotismo dos governados, ou os governados dos governantes ou vice-versa? É índicio de falta de Patriotismo o governado fazer notar aos governantes de que estão incorrendo em erro, ou faltando com a verdade em determinadas acções, visando o seu proprio bem-estar (dos governantes) ao invéns do bem-estar comum? Por outras palavras, é falta de Patriotismo quando as populações por consequência das acções incompetentes e desatrosas dos governantes pretendem fazer ouvir o seu desagrado, portanto a sua voz?... A desculpa desarrazoada de que o povo tem que “manifestar-se em locais próprios” honestamente não tolhe nem colhe, porque o Povo não faz parte no seu colectivo de nenhum ‘comité de especialidade’ de partido nenhum, não tem acesso a Assembleia Nacional, então! Como fazer ouvir a sua voz? È Patriótico o povo manter-se em silêncio perante tão gritante e dantesca incompetência, corrupção epidémica, roubo selvagem e generalizado do erário público e arbitrário desinteresse nacional, alastramento criminoso da miséria, quando é o mesmo povo a única e exclusiva vitima da sinistra e tenebrosa acção do chamado executivo? É Patriótico alguém colocar ‘quedo e mudo’ de forma voluntária a cabeça na ‘guilhotina’ para o nada?!.. é o suicidio colectivo para o nada algo Patriótico? Ou a acção contrária?

Se partirmos do Principio, que os governantes antes de atingirem tal patamar, ‘namoraram’ ( á-propósito será que o fizeram?!) as populações para convencê-los do seu projecto para a Nação ou para o País, visando única e exclusivamente o BEM-ESTAR das populações ou do povo, (onde?!) durante realizações de comicios, marchas e outras formas de manifestações politica, então estes os que prometeram ‘tais mundos’ obtiveram ‘um certificado do povo’ para dirigir a ‘nau’ para o ‘bom-porto’, têm a obrigação de mostrarem-se ser Bons Patriotas, cumprindo as promessas que de forma voluntária e ‘altruista’ fizeram para com o País, assim os governados têm a obrigação de EXIGIR que os governantes, cumpram com o prometido, mostrando assim por seu turno serem de igual modo Bons Patriotas, porque a Pátria é em primeira e última instância propriedade DO POVO, de todos nós e não de apenas um grupo de individuos que se dizem ‘eleitos’ por alguma acção misteriosamente ‘divina’.

PATRIOTISMO também manifesta-se pelos valores que transmitimos como cidadãos conscientes, boa conduta-moral, respeito pelas leis e pelas autoridades, respeito pelas normas, regras e costumes que comumente regem toda sociedade civilizada. Por outras palavras PATRIOTISMO, significa ser ordeiro, disciplinado, pacifico e contra todas as manifestações da violência, o que não quer dizer, que não se pode realizar manifestações, a manifestação só se torna violenta quando a policia descura de cumprir cabalmente o seu papel, protegendo os manifestantes e cuidar que os oportunistas e arruaceiros não se apoderem dela para fins incofessos. Na minha opinião todos os valores patrióticos resumem-se apenas numa única frase; “ contribuir contínuamente de forma honesta para o bem-estar colectivo”.

Quando os adultos não dão o correcto exemplo civico, regral geral são repreendidos pela sociedade pois que tais individuos representam um perigo a continuidade da salubridade e civilidade nacional, assim também acontece quando os governantes não são exemplos na moral, respeito pelas leis e instituições legais que compõem o espectro juridico-legal do País que governam.

Lembrei-me de dissertar sobre este tão delicado tema, quando nos três primeiros dias de Março, fomos ‘atordoados’ por um anúncio e evento que teria lugar (teve lugar) em 5 de Março, os autores de tal evento classificaram a aderência ao citado movimento, manifestação puramente partidaria, como; PATRIÒTICA e marcha da PAZ. Dando a entender que todos os que por vários motivos, não pertencessem, aderissem ao partido que emitiu tal convocatória e a sua acção, NÃO SÃO ou não serem PATRIOTAS, e consequentemente a favor da guerra, nunca se falou tanto da guerra de forma irresponsávelmente desastrosa, desde a assinatura do chamado protocolo entre os generais Camorteiro e Armando ‘maluco’ da Cruz, como na primeira semana do mês de março. Em alguns pontos do País, muitos populares abandonaram aterrorizados os seus locais costumeiro de residência face a tais persistentes rumores, alimentados de forma criminosa por algumas cabeças de M(elão), que compõem o MPLA-JES, é isto; Patriotismo? É isto ordem e respeito pelas instituições? Significa tal apelo um apelo a PAZ “quando você exibe ameaçadoramente o machado da guerra” e declara aterradoramente que o visado (pela ameaça) é inimigo da paz e anti-Patriota?

Porque os Patriotas (no conceito do MPLA-JES) e cumpridores da Lei estão TODOS ‘localizados’ sob a tutela e a ‘batuta’ do MPLA-JES e este teve/têm o apoio de 86% dos eleitores, os que não votaram no seu M(elão), aproximam-se de “bandidos, que querem o regressso da guerra”. Esquecendo-se obviamente que os 86% que votaram a favor, deram-lhes um ‘certificado’ revogável (pelo menos nas Democracias assim é) para GOVERNAREM e não/NUNCA para se governarem e aterrorizarem a população incluindo os protagonistas (anónimos) da ‘emissão’ do referido ‘certificado’. Foi a marcha de 5 de Março Patriótica?.. uma marcha que representou a continuidade da DITADURA e da corrupção doentia, uma marcha onde se destilou a INTOLERÂNCIA excessiva e exacerbada, que rejeitou, humilhou e espezinhou de forma arrogante os direitos mais elementares dos demais cidadãos, uma marcha composta por muitos elementos chantageados que marcaram presença á-contra gosto com receio de serem notados (a falta) e perderem o emprego na função pública, uma marcha manchada pela corrupção, sob atracção de espectaculo musical e de Cerveja... tal marcha foi sim a MARCHA DA VERGONHA Nacional, porque significou uma tentativa de enterro da débil (muito palúdica) Democracia.

PATRIOTA óbviamente esta relacionado com a palavra PÀTRIA, o amor a Patria é que produz o Patriotismo, portanto ser patriota nunca esta relacionado com a fidelidade e lealdade a homem nenhum ou a um partido politico, pois que nenhum Partido politico e nenhum homem, esta acima dos sagrados e inalienáveis interesses da Nação ou da Pátria. Tais individuos (os que arrogam a ímpia exclusividade) assemelham-se aquele que presunçosamente se jactou; “Eu sou a Líbia” (e todos ‘presenciamos’ as consequências de tal pronunciamento) provavélmente há em Angola quem diga, por palavras e actos “Eu sou Angola”, (vivemos na carne as consequências de tal presunção vergonhosa, e devemos preparar-mo-nos para o pior tal como esta acontecendo na Libía) que abominavel e pecaminosa jactância anti-patriótica.

Em Angola, a maior parte dos governantes estão longe de serem o exemplo de; BOM CIDADÃO, lealdade, boa conduta, boa moral, respeito as leis, respeito ao prôximo, e interessados exclusivamente no bem-estar colectivo. Tais individuos, jamais dizem a verdade, a mentira faz parte do seu dia-a-dia, a maior parte deles são poligámos inveterados (com JES a cabeça, o ‘tal’ que deveria ser o estandarte da boa moral, o mais alto exemplo) alguns são pedófilos, abusam sexualmente rapariguinhas ainda na adolescência, corropendo-as com alguns Usd, mancham e desfazem milhares de lares, seduzindo e corrompendo esposas alheias, por ostentarem e jactarem-se das suas ilicitas riquezas, e ilegal promiscuidade, com consequências desastrosas para a boa moral africana que herdamos dos nossos ilustres antecessores, levam impiedosamente a reboque o País inteiro, para tudo que é imundo, replectem um desinteresse total ao bem-estar do povo, produzem julgamentos ilegais, Lançam para as prisões gente inocente, cujo único crime foi ousar pensar diferente, ostracizam todos aqueles que não se revêm nas suas cores Partidarias.

A UNICEF regista que Angola está localizado entre os Países do mundo onde morrem mais crianças, um autêntico genocidio, assim; Angola esta localizado entre os Países do mundo onde não há PAZ social, o que quer dizer entre outras ‘coisas’ esta entre os Países do mundo onde não há JUSTIÇA e LIBERDADE. Um governo ou executivo responsavel por tais ‘eventos’ não espelha o Patriotismo e não é Patriota, reflectido na prosecução constante e contínua do bem-estar colectivo, é simplesmente TERRORISTA e precussora inegável da GUERRA.

Um governo que PROIBE com ameaças Nazista-Estalinista e Gaddafiano, manifestações que não são ‘paridas’ no seu seio, e exalta um temor mórbido por qualquer acção colectiva, até uma manifestação pacifica de mulheres contra a violência doméstica ou de reivindicação salarial da Ngaxôto Lda, Que não tenha cartazes com rosto de JES e bandeiras do MPLA-JES, assusta-os e é cognominada imediatamente de manifestação anti-governo, e a policia de intervenção rapida é chamada para a reprimir, é isso exemplo de Patriotismo?

Angola, necessita com urgência de um governo PATRIOTA, que apele e promova marchas solenes de PATRIOTISMO primeiro entre os pares, espelhando boa e salutar governação, produzindo e defendendo primária e intrasigentemente a Justiça e transparente comportamento moral dando o correcto e positivo exemplo ao resto da sociedade e exultar o desenvolvimento social, depois sim levar á reboque todas as forças viva do País, que o farão de bom grado e de forma natural e instintiva.

Porque o exemplo que vislumbramos do MPLA-JES é o da; Incompetência total, ‘escabrosa’ Corrupção, e Roubo ininterrupto, intolerància a todos os niveis, “Ngombelismo”, desordem e total desrespeito as sacra tradições dos nossos antepassados e ao bem-estar comum, enfim é o mais vivo exemplo ANTI-PATRIOTA.

Por isso, governar com PATRIOTISMO é cuidar, especialmente dos pobres, dos que mais sofrem, dos humilhados e ofendidos, é isso que faz desenvolver o País quando os seus cidadãos (independentemente da cor da pele, origem social ou partidária) se sentem protegidos pelas instituições nacional, principalmente do executivo.

Governar é cuidar todos os dias para que a “boa muda” possa florescer e encantar.

Nguituka Salomão

Angola24horas.com

Sem comentários: