• Portugal. 10 MIL MILHÕES - *Ana Alexandra Gonçalves** Entre 2011 e 2014 o país conheceu uma formidável fuga de capitais com destino a offshores: 10 mil milhões comunicados pelas in...
    Há 1 hora

quinta-feira, 24 de março de 2011

PSD DEIXA EM ABERTO POSSIBILIDADE DO AUMENTO DO IVA

.

TSF Rádio Jornal – 24 março 2011

MIGUEL RELVAS EM DECLARAÇÕES À TSF (de manhã)

O Correio da Manhã fala hoje numa subida do imposto para os 24 ou 25 por cento. Esta manhã, em declarações à TSF, o secretário-geral do PSD, Miguel Relvas, não afastou este cenário.

Em declarações à TSF, esta manhã no noticiário das 8:00, o secretário-geral do PSD defendeu que o futuro político do país tem que passar por eleições antecipadas.

«Quando os governos se esgotam, quando os projectos estão cansados, só há uma solução: devolver a palavra aos portugueses. A clarificação deste plântano político a que chegámos só passa pela clarificação política e por dar a voz aos portugueses», frisou.

Em relação a medidas de combate à actual situação económica e financeira do país, e no dia em que o jornal Correio da Manhã fala numa subida do IVA para 24 ou 25 por cento, Miguel Relvas não afastou essa possibilidade se o PSD vier a ser chamado a liderar o próximo Governo.

«O líder do PSD já admitiu que a construção de um projecto de esperança significa também sacrificios que têm que ser melhor distribuídos. O que está em cima da mesa é criarmos condições para que os sacrifícios que são pedimos [aos portugueses] não sejam feitos de uma forma injusta. [Neste momento] está tudo em aberto», declarou Miguel Relvas.

Depois da emissão do primeiro-ministro, os juros da dívida a cino anos tocaram já esta manhã os 8,4 por cento e a dez anos superam os 7,8 por cento.

Em reacção, Miguel Relvas desdramatizou dizendo esperar uma acalmia dos mercados ao longo dia de hoje.

«Não podemos entrar num clima de dramatização. Esse papel deixamo-lo para o Governo, ou nós ou o caos. Afinal cairam e não há o caos», declarou.

Miguel Relvas deixou ainda a garantia que se o PSD for Governo irá respeitar os compromissos orçamentais que Portugal assumiu em Bruxelas, a meta dos três por cento de défice no próximo ano será cumprida, bem como muitos cortes na despesa do Estado.

O presidente do PSD e o primeiro ministro estão esta quinta-feira em Bruxelas. José Sócrates para participar num conselho de chefes de Estado e de Governo dos 27, Pedro Passos Coelho vai estar com Ângela Merkel no âmbito da cimeira do partido popular.

OUVIR MIGUEL RELVAS (PSD)

PASSOS COELHO ADMITE SUBIDA DO IVA (à tarde)

TSF Rádio Jornal – 24 março 2011

O líder do PSD assumiu em Bruxelas o «compromisso» de não proceder a cortes salariais ou das pensões se tiver necessidade de «mexer nos impostos», mas admitiu uma subida do IVA.

Falando à entrada de uma cimeira do Partido Popular Europeu (PPE), Pedro Passos Coelho, questionado sobre as notícias de que o PSD pensa evitar cortes nas reformas através de uma subida do IVA, escusou-se a entrar em detalhes, alegando que a oposição desconhece a real situação financeira do país, mas confirmou que, a ter de haver ajustamentos, será nos impostos sobre o consumo.

«Até haver um conhecimento completo da situação financeira portuguesa, não é possível a nenhum responsável dizer que não será necessário mexer nos impostos. Mas se ainda vier a ser necessário algum ajustamento, a minha garantia é de que seria canalizado para os impostos sobre o consumo, e não para impostos sobre o rendimento das pessoas», disse.

O líder do PSD garantiu mesmo que, desde já, «fica o compromisso expresso do PSD em como não haverá recurso a medidas que afectem as pensões mais degradadas ou as reformas, tal como estava prevista no Programa de Estabilidade e Crescimento».

«Portanto, a haver algum ajustamento que seja necessário fazer, será mais por via dos impostos sobre o consumo do que do rendimento das pessoas através dos impostos ou através de cortes salariais ou das pensões», reforçou.

Passos Coelho participa hoje na cimeira do PPE, que se realiza à margem do Conselho Europeu, tendo também previsto um encontro, à noite, com militantes sociais-democratas na capital belga.

OUVIR PASSOS COELHO (PSD)
.

Sem comentários: