• O NATAL É VERMELHO - *Tinha na cabeça que tudo no mundo se conseguia por um exercício doloroso de vontade e que as frases tinham de ter um encantamento que convocasse o prime...
    Há 1 dia

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

ANGOLA AVALIA FECHO DAS CONTAS DA EMBAIXADA NOS EUA

.

VOZ DA LUSOFONIA – 18 janeiro 2011

O governo angolano vai avaliar os motivos do encerramento, pela segunda vez, das contas da embaixada de Angola nos EUA, anunciou o ministro de Estado e chefe da Casa Civil do Presidente da República.

"Temos a informação de que uma outra instituição financeira cancelou as contas da embaixada de Angola. O mais importante é fazer uma avaliação das causas desse relacionamento com o sistema financeiro norte-americano", disse Carlos Feijó, citado pela agência de notícias angolana, Angop.

O governante falava na conferência de imprensa para a apresentação do balanço do último trimestre de 2010, que decorreu esta segunda-feira em Luanda.

O ministro de Estado garantiu que Angola "fará o seu trabalho de casa" para averiguar o que se passa e recordou que, fruto de esforços legislativos e da luta contra o branqueamento de capitais, Luanda deu passos significativos e foi retirada dos países não cooperantes.

De acordo com Carlos Feijó, um encontro internacional avaliou, recentemente, de forma positiva o comportamento de Angola no cumprimento das principais directivas do sistema financeiro internacional, lê-se na Angop.

A embaixada abriu as contas no Sonabank Southern National Bankcorp of Virgínia no final do mês passado, depois de o Bank of America lhe ter encerrado as contas.

Na altura, essa decisão do Bank of America criou fortes tensões entre Luanda e Washington.

Afirmando estar interessado em ajudar Angola, o Departamento de Estado norte-americano lembrou que não pode obrigar nenhum banco a aceitar clientes, mas escreveu uma carta de recomendação ao Sonabank, conta o jornal Voice of America (VOA).

Só que, entretanto, o banco escreveu à embaixada a anunciar que encerrava as suas contas após uma análise legal do seu histórico bancário, lê-se no VOA.

No entanto, o banco não especificou que transacções encontrou que podem ser consideradas questionáveis.

Publicada por Orlando Castro
.

Sem comentários: