• A FRENTE NEGRA BRASILEIRA - *Carlos Roberto Saraiva da Costa Leite* | Porto Alegre | Brasil* Há 86 anos, em 16 de setembro de 1931, na cidade de São Paulo, foi criada a Frente Negr...
    Há 20 horas

domingo, 6 de fevereiro de 2011

Eleições em Cabo Verde: URNAS ABRIRAM ÀS 08:00 HORAS NO ARQUIPÉLAGO

.

INFORPRESS – 06 fevereiro 2011

Cidade da Praia, 6 (Inforpress) - As urnas para as eleições legislativas abriram hoje às 08:00 no arquipélago, encerrando às 18:00.

Para o sufrágio de hoje estão inscritos cerca de 263 mil eleitores, que poderão optar por um dos cinco partidos que disputam as legislativas, designadamente o Partido Africano para a Independência de Cabo Verde (PAICV, no poder, com 41 deputados); Movimento para a Democracia (MpD, maior partido da oposição, com 29 parlamentares); União Cabo-Verdiana Independente e Democrática (UCID, com 2 deputados); Partido do Trabalho e Solidariedade; e o Partido Social Democrata.

Em disputa está a eleição de 72 parlamentares em representação de 13 círculos eleitorais, sendo dez no arquipélago e os outros três círculos formados pelas comunidades emigrantes em África, Américas e Europa e Resto do Mundo.

Legislativas: Cabo-verdianos votam hoje para eleger novo Parlamento
.
INFORPRESS – 06 fevereiro 2011

Cidade da Praia, 6 Fev (Inforpress) - Mais de 263 mil eleitores cabo-verdianos residentes no país e nos três círculos no estrangeiro (África, Américas e Europa e Resto do Mundo) vão hoje às urnas para escolher os 72 deputados que irão constituir o novo Parlamento de Cabo Verde.

O Movimento para a Democracia (MpD), o Partido Africano para a Independência de Cabo Verde (PAICV), o Partido Social Democrático (PSD), o Partido do Trabalho e Solidariedade (PTS) e a União Caboverdiana Independente e Democrática (UCID) são os concorrentes nestas que são as quintas eleições multipartidárias desde a abertura ao pluralismo político em Cabo Verde em 1990.

O PAICV, liderado por José Maria Neves, actual primeiro-ministro, que concorre a um terceiro mandato consecutivo de cinco anos e o MpD, presidido por Carlos Veiga, que dirigiu o país de 1991 a 2000, apresentam listas em todos os 13 círculos eleitorais.

A UCID, de António Monteiro, concorre em 10 círculos eleitorais (Santo Antão, São Vicente, São Nicolau, Santiago Norte, Santiago Sul, Fogo, Brava, Sal, Américas, e Europa e Resto do Mundo) o PTS, de João do Rosário, em cinco (Santo Antão, São Nicolau, Boa Vista, São Vicente, Santiago Norte) e o PSD, de João Além, apresenta listas em três círculos eleitorais (Santiago Sul, Santiago Norte e São Vicente).

Durante os 16 dias da campanha, que decorreram sem incidentes, apesar da troca de acusações de compra de votos e a da guerra de sondagens, as candidaturas das cinco forças políticas, que integram um total de 507 pessoas, entre efectivos e suplentes, percorreram o país de lés-a-lés tentando convencer o eleitorado da pertinência do seu programa.

Enquanto o MpD centrou a sua campanha na necessidade de mudança, tendo como slogan “mesti muda” (é preciso mudar) e “Governar para as Pessoas”, o PAICV, com o lema “Mais Cabo Verde”, optou por pedir mais uma vez, o voto de confiança para dar continuidade ao processo de transformação do país, que diz ter iniciado em 2001.

A UCID, formação de ideologia democrata cristã, procurou ao longo desses dias passar a mensagem da necessidade de quebrar a bipolarização MpD/PAICV do cenário político cabo-verdiano.

Já os trabalhistas do PTS apresentaram como bandeira para a campanha a regionalização política do país, um dos quatro pilares da sua plataforma eleitoral, além do trabalho, a solidariedade e a protecção ambiental.

Com a sua forma peculiar de trabalhar, diferente das restantes candidaturas, o PSD centrou a sua acção na necessidade de “Mudar Cabo Verde e dignificar o homem”, tendo apostado nos contactos personalizados alternados com os eleitorados de Santiago Norte e Sul.

Com a nova configuração de ilha/círculo, dos 72 deputados que compõem o Parlamento cabo-verdiano, seis são eleitos na emigração, sendo dois para África, dois para Europa e Resto do Mundo e dois para as Américas e os restantes 66 serão disputados nos 10 círculos no país.

Santiago Sul é o maior círculo eleitoral do país onde serão eleitos 19 deputados, seguido de Santiago Norte, com 14. Em São Vicente, os partidos políticos disputam 11 assentos parlamentares, enquanto em Santo Antão lutam pelos seis que a ilha passou a fornecer. O Fogo, que tinha seis deputados, agora passou a contar com cinco.

Com esse novo formato, a ilha do Fogo perdeu um deputado, enquanto Santo Antão se viu privada de dois. Sal passou a eleger três deputados em vez de dois. As ilhas com menos expressão, em termos populacionais, como Maio, Boa Vista, São Nicolau e Brava continuam a eleger dois deputados cada.

As 825 assembleias de voto criadas nos 10 círculos eleitorais no território nacional e 21 nos três círculos da diáspora abrem às 08:00 e encerram às 18:00. O escrutínio no território nacional vai ser acompanhado por 33 observadores da União Africana e dos Estados Unidos.

Nas eleições de 2006, o PAICV venceu com maioria absoluta (52,38 por cento dos votos), obtendo 41 deputados, seguindo-se o MpD (44,02 por cento - 29 deputados) e a UCID (2,64 por cento - 2 deputados), tendo a abstenção atingido o valor mais alto de sempre em legislativas (45,8 por cento).

CPInforpress/fim
.

Sem comentários: