• Portugal | MATANÇA - *Ora a perda de cem vidas humanas, nas circunstâncias em que ocorreu – dois picos de vagas incendiárias muito concentradas no tempo e imprevisivelmente d...
    Há 1 dia

sábado, 19 de março de 2011

Discurso de Obama não menciona apoio ao Brasil na vaga permanente no CS

.

CYG – FO – LUSA

Brasília, 19 mar (Lusa) -- O tão aguardado pronunciamento conjunto entre os Presidentes do Brasil e Estados Unidos, Dilma Rousseff e Barack Obama, seguiu mais aspetos protocolares e menos as expetativas do governo brasileiro.

Em sua fala, a Presidente do Brasil foi objetiva em relação à pretensão do país a um assento permanente no Conselho de Segurança das Nações Unidas, ao passo que o seu homólogo americano foi evasivo em relação ao assunto, sem explicitar o seu apoio ao pleito brasileiro.

Obama afirmou apoiar reformas, mas não disse quais.

Dilma Rousseff iniciou seu discurso afirmando que Brasil e Estados Unidos são as duas maiores democracias da América e que a parceria entre os dois países é muito importante.

A educação e a inovação tecnológia foram destaque nos temas centrais da conversa com seu homólogo americano.

A Presidente reforçou ainda o avanço do Brasil em biotecnologia e energia limpa e ressaltou a necessidade de relações equilibradas no comércio entre os dois países.

Rousseff pediu o fim das barreiras para produtos como etanol, laranja e aço no mercado norte-americano que servem como entrave nas relações comerciais de Brasil com os EUA.

Por seu turno, Barack Obama abriu o discurso afirmando não ter sido por acaso que sua primeira viagem à América do Sul incluiu o Brasil dada à vitalidade económica que o país tem se apresentado no cenário internacional.

"O crescimento extraordinário do Brasil tem chamado a atenção do mundo". Obama destacou ainda que "sua posição de líder regional o torna um país de destaque nas negociações entre os países americanos".

Obama lembrou o Brasil como um dos principais parceiros comerciais dos EUA, porém chamou atenção para o facto de que "ainda há muito a fazer como expandir a cooperação nas áreas de ciência e tecnologia, comércio e educação".

Em sua fala, o Presidente norte-americano disse que "o Brasil quer ser um grande fornecedor de fontes renováveis de energia e os EUA querem ser um grande cliente nesta área".

Barack Obama confirmou a atuação conjunta dos dois países: "Estamos juntos em muitas frentes, como foi no terramoto do Haiti e na luta contra o narcotráfico. Hoje estamos a lançar novos esforços para ajudar as nações a combater a corrupção. Estes são apenas alguns dos exemplos do que podemos fazer juntos, na busca de um mundo mais seguro e pacífico", completou.

No início da tarde deste sábado, Obama e Rousseff participam de almoço no Palácio Itamaraty, sede da diplomacia brasileira.

Brasil-EUA: Movimentos sociais organizam protesto contra visita de Obama

Rio de Janeiro, Brasil, 19 mar (Lusa) -- Movimentos sociais vão promover um protesto contra a presença do Presidente dos EUA no Rio de Janeiro, no domingo, segunda etapa da visita oficial de Barack Obama ao Brasil.

Segundo os organizadores, o ato vai assinalar o "absurdo" de o Brasil receber "o representante maior do imperialismo com festa", numa referência à receção oferecida hoje em Brasília pela Presidente Dilma Rousseff.

Os manifestantes planeiam seguir em marcha pelas principais ruas do centro do Rio de Janeiro, onde fica o Theatro Municipal, local escolhido para o discurso de Barack Obama.
.

Sem comentários: