• O NATAL É VERMELHO - *Tinha na cabeça que tudo no mundo se conseguia por um exercício doloroso de vontade e que as frases tinham de ter um encantamento que convocasse o prime...
    Há 16 minutos

sábado, 2 de abril de 2011

MARCOLINO MOCO E AGUALUSA: OPINIÃO SOBRE A MANIFESTAÇÃO

.
LUSA – CLUBE K – 01 abril 2011

Lisboa - Tudo indica que a manifestação agendada para amanhã intitulada "liberdade de expressão" será um facto. Apesar de existirem algumas "lacunas" burocráticas entre organizadores e governo provincial atinentes ao local da efeméride.

A nova geração [organizadores da manifestação] "desarmados" e sem quaisquer ligações partidárias clamam que será uma manifestação pacífica e com um objectivo bem definido: "Defender a liberdade de expressão".

Os organizadores em nome da sociedade civil afirmam que os seus direitos de liberdade são privados nos órgãos de comunicação social monopolizados pelo governo. Segundo ainda os promotores estes patrimónios nacionais não representam a real opinião do povo mas sim do partido no poder.

Assim sendo, repassamos o parecer de Ex-PM Marcolino Moco e Agualusa:

Ex-PM Marcolino Moco e Agualusa que manifestação de sábado abra portas à liberdade de expressão

O antigo primeiro-ministro angolano Marcolino Moco disse em entrevista à Agência Lusa esperar que a manifestação de sábado em Luanda abra as portas à liberdade de expressão, e que o regime reveja "outras atitudes" que considera incorretas.

Esperançado em que a manifestação abra as portas ao diálogo, Marcolino Moco disse ser seu "desejo que a partir daí as autoridades tenham uma nova atitude perante o direito à comunicação, perante a liberdade da imprensa e a partir daí revejam outras atitudes incorretas".

Angola: Manifestação de jovens no sábado "é o princípio de alguma coisa" -José Eduardo Agualusa

A manifestação de sábado em Luanda, pela liberdade de expressão em Angola, "é o princípio de alguma coisa", disse hoje à Lusa o escritor angolano José Eduardo Agualusa.

"O que me parece é que isto é o princípio de alguma coisa. A partir daqui, isto nota-se muito na Internet, no 'Facebook' também, há uma movimentação como nunca houve e as pessoas estão a dialogar, que era uma coisa que fazia muita falta em Angola", disse.

Sem comentários: