• O NATAL É VERMELHO - *Tinha na cabeça que tudo no mundo se conseguia por um exercício doloroso de vontade e que as frases tinham de ter um encantamento que convocasse o prime...
    Há 1 dia

sábado, 26 de março de 2011

ELE SÓ SABE (E NÃO É POUCO) QUE TUDO SABE!

.

ORLANDO CASTRO*, jornalista – ALTO HAMA

Como em tudo na vida, enquanto se é bestial não faltam seguidores. Quando se passa a besta, aí as coisas mudam de figura. Os servos viram-se contra o dono do reino. Nesta fase, José Sócrates ainda é bestial.

É claro que não falta no PS quem vote em Sócrates para liderar o partido e ser candidato a primeiro-ministro, mesmo que nos bastidores já estejam prontos para o apunhalar pelas costas.

Não faltam na história dos partidos portugueses exemplos disso. Dizem-me que a vida é mesmo assim. Vale tudo para chegar onde se não consegue chegar por mérito, lealdade, verticalidade, frontalidade e coerência.

Deve, aliás, ser por isso que há cada vez mais portugueses a nascer sem coluna vertebral e castrados. Creio até que a possibilidade de ter coluna vertebral amovível foi o maior contributo de genética para a criação, e proliferação, dos mais importante protagonistas portugueses: os políticos.

No caso do PS, até porque há gerações que não se renderam a quem se julga dono da verdade, de quando em vez lá aparece um histórico socialista que, por nada dever ao partido, diz umas tantas verdades.

É o caso de Henrique Neto que, em entrevista ao "Correio da Manhã", entende que José Sócrates deveria "demitir-se já da liderança do PS". Muitos outros há que pensam da mesma maneira, mas a estes – mesmo a alguns que têm coluna vertebral - falta-lhes os tomates. Vão, por isso, esperar que o líder caia para, então sim, recorrerem a tomates de plástico e dizerem que sempre estiveram contra.

Henrique Neto acusa Sócrates, como se isso fizesse algum sentido, de viver num "estado de negação da realidade" que o "obriga a mentir e a criar um mundo irreal".

Todos os socialistas, mesmo aqueles que como as marionetas só se aguentam de pé por terem alguém a segurá-los, sabem que o líder socialista se considera de uma casta rara e superior. Mesmo assim, não desgrudam da gamela.

Apesar de ter sido ministro de António Guterres, José Sócrates nada aprendeu com ele. Humildade? Honorabilidade? Não. Nada disso aprendeu com o então secretário-geral do PS e depois primeiro-ministro.

Quando António Guterres dizia que a verdade era a principal qualidade de um governante, certamente Sócrates entendia que isso era uma treta. E terá sido por isso que, quando se apanhou no poleiro, decretou que era o único dono da verdade e tratou de secar todos aqueles que pensavam, e pensam, de forma diferente.

Henrique Neto diz nesta entrevista que é "uma missão impossível" debater o futuro dentro do PS. É verdade. Mas, neste caso, José Sócrates tem razão. Desde quando se viu a plebe a debater os desígnios divinos do sumo pontífice do partido que, desde nascença, só sabe que tudo sabe?

*Orlando Castro, jornalista angolano-português - O poder das ideias acima das ideias de poder, porque não se é Jornalista (digo eu) seis ou sete horas por dia a uns tantos euros por mês, mas sim 24 horas por dia, mesmo estando (des)empregado.
.

Sem comentários: