• O NATAL É VERMELHO - *Tinha na cabeça que tudo no mundo se conseguia por um exercício doloroso de vontade e que as frases tinham de ter um encantamento que convocasse o prime...
    Há 2 dias

quinta-feira, 10 de março de 2011

Em contagem regressiva: A economia do Japão à beira de um colapso

.

DIÁRIO LIBERDADE – 09 março 2011

PCO - Com uma dívida publica que equivale ao dobro do PIB, o Japão caminha a passos largos para o colapso econômico. A pressão para a saída do primeiro-ministro Naoto Kan é um reflexo dessa bomba relógio prestes a explodir.

A crise japonesa tem mais um capítulo agora é com o atual primeiro-ministro Naoto Kan, o quinto a assumir o cargo desde 2006.

Metade da população japonesa pede sua renúncia, e os principais motivos estão ligados à economia do país. A dívida pública japonesa é cerca de duas vezes maior que a produção anual do país. E se as previsões dos economistas estiverem certas e a dívida pública japonesa explodir é capaz de levar não só o Japão para uma de suas piores crises como afundaria as bolsas de valores do mundo inteiro.

Para tentar acabar com a dívida o governo propôs um plano de austeridade que inclui a elevação dos impostos sobre praticamente todos os produtos, elevando o custo de vida japonês, além do congelamento de salários. Na prática, o governo estaria jogando sobre a classe trabalhadora japonesa todo o ônus de uma economia arrasada que teve de usar bilhões para salvar empresários falidos na crise econômica de 2008/2009.

A medida do primeiro-ministro já era impopular, mas suas ideias não pararam por aí. Kan quer uma série de reformas que envolvem a criação de uma zona de comércio livre em torno da costa do Pacífico. Em outras palavras, aprofundar a política econômica neoliberal no Japão para tentar conseguir captar dinheiro para um governo falido.

Muito analistas políticos mostram que o governo de Kan entrará em colapso logo por conta de todas as medidas, estando atrelado à aplicação do pacote de austeridade no próximo mês.

Elementos do próprio partido de Naoto Kan, o Partido Democrático do Japão (PDJ), já pedem sua saída do próprio partido ou a renúncia do cargo de primeiro-ministro.

Nenhum partido quer estar no poder quando a bomba econômica japonesa explodir. O próprio Partido Democrata Liberal (PDL) que governou o Japão por quase cinquenta anos de maneira ininterrupta não parece entusiasmado em voltar ao poder.

Segundo o analista econômico da BBC em Tóquio, Roland Buerk, "os economistas vêm prevendo há anos que o Japão vai seguir o caminho da Grécia, algo evitado até agora..."

O aprofundamento da crise capitalista mundial nos últimos anos levou a conseqüências desastrosas para os governos europeus que mal conseguem se manter em pé após a recente onda de greves e mobilizações populares contra seus planos de "austeridade". A eclosão da crise no Japão e o choque entre as medidas tomadas pelo governo e a população definirão a rapidez com que o governo se dissolverá.
.

Sem comentários: